Reflexões de um psicomotricista

Uma visão do processo terapêutico e as suas implicações

Desordens enlatadas.

              Não gosto de enlatados, de coisas a empurrarem-se em espaços minúsculos, de não haver ar sem gente, espaço sem espaço ou ciclos apertados … Continuar a ler

5 de Novembro de 2013 · Deixe o seu comentário

Os olhos são de quem nos vê

Os nossos olhos são mais de quem nos vê. De quem percebe num momento ou instante o que vai cá dentro, de quem nos lê como livros, revistas, jornais ou … Continuar a ler

29 de Outubro de 2013 · Deixe o seu comentário

As coisas meio cheias

O andar desconcertado de duas pernas balançantes num espaço que parece infinito, nós que quando crescemos perdemos as coisas, tudo nos parece mais pequeno porque também nós já somos maiores … Continuar a ler

19 de Março de 2013 · Deixe o seu comentário

Liberdade na escada rolante

Se estas letras soarem a música, isto será qualquer coisa como um prelúdio: Um centro comercial é um aperitivo de um reality-show. Tal como o croquete, rissol ou algo mais … Continuar a ler

5 de Fevereiro de 2013 · 1 Comentário

Des(p)ejos de 2013

Época das resoluções. De resolver o que ficou por decifrar de melhorar a posição daquelas molduras de vida que deixamos sempre no mesmo pó, com vontade diária, ou mais que … Continuar a ler

8 de Janeiro de 2013 · Deixe o seu comentário

Errar é um contrapeso

Por vezes somos homens balança, agitando-nos com os pesos que empurram para lados diferentes, que pesam como erros, que cumprimos em fazer esquecer que são inevitáveis e fazem parte deste … Continuar a ler

4 de Dezembro de 2012 · Deixe o seu comentário

Errar é um contrapeso – prequela.

  Andava pela rua ao pé-coxinho porque pensava que um homem só deve andar com um pé no chão e outro devia levitar no ar, como os sonhos e os … Continuar a ler

21 de Novembro de 2012 · Deixe o seu comentário
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.